segunda-feira, 24 de julho de 2017

Na cidade de Holambra, profissionais de tecnologia da informação recebem PLR

Na cidade de Holambra, profissionais de tecnologia da informação recebem PLR
via Sindpd

A diretora do Sindpd Loide Belchior esteve nas empresas Smarttech Serviços de Testes e Simulações e Smarttech Tecnologia Serviços e Sistemas, que pertencem ao mesmo grupo, para mediar a assembleia do acordo de Participação nos Lucros e/ou Resultados.

Durante o encontro, a proposta oferecida pelo grupo empresarial foi aprovada pela maioria dos votos. Os funcionários vão receber o valor da PLR em duas parcelas, sendo 30 de setembro de 2017 e 30 de março de 2018.

De acordo com Loide, cerca de 40 trabalhadores serão beneficiados com a renovação do programa para 2017. "Embora nossa Convenção Coletiva de Trabalho determine que as empresas de tecnologia da informação apresentem a proposta de PLR, muitas não cumprem, e é papel do Sindpd estar em cima para que todos os trabalhadores sejam beneficiados. O acordo na Smarttech foi tranquilo e os trabalhadores ficaram muito satisfeitos", afirmou a diretora.

Usuário do Tinder cria perfil falso com foto de secretário de governo no ES

Usuário do Tinder cria perfil falso com foto de secretário de governo no ES
via G1

O secretário de Estado de Controle e Transparência Eugênio Ricas vai registrar um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil após um usuário do Tinder criar um perfil falso no aplicativo de relacionamento com a foto dele.

Ricas foi informado que um homem estava usando uma imagem dele no aplicativo, após uma denúncia de uma ouvinte da CBN. A mulher, que pediu para não ser identificada, contou que ficou surpresa quando viu a foto do secretário. O usuário, identificado como Paulo, usou uma foto de Ricas publicada em um jornal.

O secretário, que também é delegado da Polícia Federal, disse que ficou indignado e que vai procurar a Polícia Civil ainda nesta segunda-feira (24). "O que eu vou fazer é oficiar hoje a Polícia Civil. Na minha visão, há um crime sendo praticado. No mínimo, de falsa identidade. Talvez até de falsidade ideológica. Isso vai ficar a cargo do delegado definir. Mas há um crime e as consequências podem ser sérias", afirma.

Ricas orienta a todos que forem vítimas de um crime eletrônico, como ele, para procurar a Polícia. Ele alerta que essas práticas podem afetar a vida pessoal e profissional de um cidadão. "A pessoa utiliza a minha fotografia e a gente não sabe o que essa pessoa está conversando nas redes sociais. Podem ser conversas das mais variadas possíveis. Isso pode gerar consequências para a vida pessoal e profissional e, por isso, precisa ser combatido", alerta.

Pelo crime de falsa identidade, o usuário pode pegar pena de até um ano de prisão. Caso também seja constatada falsidade ideológica, a pena pode chegar a cinco anos de cadeia.

Tinder

Por nota, a assessoria de imprensa do Tinder no Brasil informou que sempre coopera com as autoridades, caso seja diretamente contatada.

A empresa afirmou que o aplicativo se tornou uma das maiores plataformas sociais no mundo, responsável por 20 bilhões de conexões em poucos anos e, por isso, não está imune a esses casos de pessoas mal-intencionadas, que, segundo a empresa, representam uma porcentagem minúscula dos usuários.

O aplicativo informou que encoraja os internautas a denunciar e bloquear usuários que estejam cometendo crimes na plataforma.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Acordo Coletivo de Trabalho para banco de horas é regulamentado na DBA Online Informática

Acordo Coletivo de Trabalho para banco de horas é regulamentado na DBA Online Informática
via Sindpd

O diretor do Sindpd em Araraquara Daniel Forini esteve na DBA Online Informática mediando a assembleia do Acordo Coletivo de Trabalho para banco de horas. Segundo Forini, a proposta prevê que os funcionários compensem seus horários negativos e positivos quadrimestralmente. O programa, que já existia na empresa, foi regulamentado pelo Sindpd e aprovado pela maioria durante a votação. A proposta segue em vigência de 01/07/2017 a 31/01/2018.

Para Naryane Dorta Françoso, o sistema de compensação do banco de horas tem sido bom para os empregados. "Achei muito interessante. Já existia o banco de horas, mas na verdade ele não estava definido os prazos certinhos. Foi muito importante a definição, o período, explicar certinho como funciona para os funcionários", comentou a funcionária e sócia do Sindpd.

"No acordo foi estabelecido a data início e fim do quadrimestre, inclusive o dia para o acerto do banco. Esse processo confere uma maior transparência para os trabalhadores", afirma o diretor do Sindpd Daniel Forini.

Profissionais de TI da Ambplan validam PLR de 2017

Profissionais de TI da Ambplan validam PLR de 2017
via Sindpd

No dia 13 de julho a diretora do Sindpd Loide Mara Belchior esteve com trabalhadores de TI da Ambplan Sistemas, em São João da Boa Vista, para realizar a assembleia de aprovação do acordo de Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR) do ano de 2017. A proposta foi aprovada por unanimidade. A assembleia contou com a participação de profissionais da matriz localizada em Jundiaí por videoconferência, metodologia adotada para que haja a maior interação possível da categoria.

A coordenadora Ellen Brassaroto Aleixo, que está há cinco anos na Ambplan, contou que não foi a primeira vez que participou de uma assembleia. "Participei da implantação da PLR, inclusive. Estamos no terceiro ano de PLR, o primeiro foi em 2015", revelou.

O processo de aprovação da Participação nos Lucros acontece de uma forma transparente e garante o reconhecimento pelo trabalho dos profissionais. "Nossa PLR ainda não está atrelada a metas e acaba sendo um bônus para o colaborador, porque sem esforço nenhum, ele vai, independentemente do resultado, receber. Está garantido", conclui a coordenadora.

Este ano, por conta de mudanças políticas que o País tem enfrentado, a diretora do Sindpd, além de explicar a importância do Sindicato, debateu pontos da reforma trabalhista sancionada pelo presidente Michel Temer. "Foi interessante. Quando o Sindpd vem para fazer a assembleia, eles explicam bastante a função do Sindicato, e é bom porque o colaborador já recebe da fonte as informações de qual é o papel do Sindicato", afirma Ellen. "Esse ano, em particular, a diretora trouxe informações sobre a reforma também. Então foi uma reunião produtiva e o pessoal gostou".

Serão favorecidos 12 trabalhadores com pagamento da PLR em duas parcelas, sendo a primeira em 5 de outubro de 2017 e a segunda em 5 de abril de 2018.

“O Senado está servindo às elites brasileiras e ao capital”, diz Neto no programa Repórter Sindical

“O Senado está servindo às elites brasileiras e ao capital”, diz Neto no programa Repórter Sindical
via CSB


Convidado da edição desta quinta-feira (20) do programa Repórter Sindical, da TV Agência Sindical, o presidente da CSB, Antonio Neto, voltou a criticar a aprovação da reforma trabalhista no Congresso Nacional e a sanção pelo presidente Michel Temer. Para Neto, o Senado “abriu mão de legislar” quando chancelou o texto do PLC 38 aprovado na Câmara dos Deputados. “O Senado está servindo às elites brasileiras e ao capital”, afirmou o dirigente sobre a atitude da maioria dos parlamentares em retirar direitos da classe trabalhadora.

Apresentado por João Franzin, o Repórter Sindical tem como tema neste mês de julho a pauta “Sindicalismo e formação”, questão que sempre teve muita importância na construção ideológica da CSB. O programa, transmitido ao vivo pela internet, contou com a participação dos internautas, que enviaram perguntas ao presidente da CSB.

Numa delas, sobre a inovação no sindicalismo, Antonio Neto respondeu que, nos últimos anos, o movimento sindical parou de estimular a formação. Segundo ele, a representação dos trabalhadores se fortalece com a capacitação dos dirigentes. “A nossa ideia é dar base ideológica baseada no trabalhismo para fazer [o sindicalista] ver a história e assumi-la”, disse o presidente. Neto afirmou ainda que o dirigente “precisa saber de que lado do balcão ele está”, em referência à defesa dos interesses dos trabalhadores.

Durante a entrevista, João Franzin destacou a nota emitida pela CSB sobre a decisão da Entidade de não participar da reunião das centrais com o presidente Michel Temer sobre a Medida Provisória que será editada para alterar pontos da reforma (leia aqui). Neto afirmou que a decisão da Central foi pautada na falta de compromisso do governo federal em cumprir acordos feitos com os senadores e no teor da MP proposta pelo Executivo.

“Aí editam uma MP para debater o imposto sindical. Isso não é o importante para nós, e sim o direto dos trabalhadores. Querem fazer uma MP sobre o trabalho intermitente, que é pior [do que a atual]. Nos atraem para discutir custeio, mas outras questões ruins serão mudadas. Por isso decidimos não ir”, explicou o presidente.

Trabalho e engajamento

Para discutir estratégias e ações da CSB em relação à Lei 13.467/2017, da reforma trabalhista, a Entidade realizará no final de julho um seminário com juristas e personalidades do Direito. “A reforma está eivada de contrariedades. Vamos ter garra para ir para cima deles, seja na Justiça, seja na organização dos trabalhadores”, reiterou Antonio Neto.

Dentro da iniciativa de formação e ampliação dos quadros, o presidente da CSB também destacou a realização dos congressos estaduais da Central. Santa Catarina, Ceará, Rio de Janeiro, Paraná, Mato Grosso e Goiás já receberam os encontros. Mais três congressos estão confirmados em Minas Gerais, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Neto também respondeu a uma pergunta sobre sua desfiliação do PMDB, afirmando que as condições políticas, econômicas e sociais “estão em sentido contrário ao que foi o PMDB, que teve papel fundamental nas questões democráticas e sindicais”.