sábado, 16 de fevereiro de 2019

Filiações no início do ano dobram, e categoria continua ao lado do Sindpd na defesa dos direitos

Filiações no início do ano dobram, e categoria continua ao lado do Sindpd na defesa dos direitos
via Sindpd

De 1º de janeiro até esta segunda-feira (11), os novos filiados ao Sindpd passam de dois mil, o dobro do ano passado. Só no primeiro mês de 2019, quase 1.700 trabalhadores decidiram se associar ao Sindicato, numa demonstração de apoio às lutas da Entidade. Além disso, cerca de 400 pessoas transferiram suas filiações - quando um trabalhador ou trabalhadora muda de empresa e continua a ser associado ao Sindicato.

Segundo o presidente Antonio Neto, esse resultado mostra como a categoria enxerga o seu papel e o do Sindpd nos desafios deste ano.

"O trabalhador tomou a decisão de se filiar, de apoiar o Sindpd na sua representação. Vejo esses números com bons olhos. Quero ressaltar a resposta da categoria às lutas do Sindicato. Enquanto algumas empresas querem decidir pelo trabalhador se ele vai contribuir ou não, ele tomou a decisão dele de apoiar o Sindicato", avaliou.

A Secretaria do Sindpd trabalhou intensamente para processar as recentes filiações, com o objetivo de atender às necessidades dos novos parceiros da Entidade. Para o presidente, estes trabalhadores manifestaram expressamente o seu apoio ao Sindpd juntando-se aos mais de 50 mil filiados atuais.

"Só em janeiro, o equivalente a quase 5% da categoria se juntou a nós. É uma resposta da categoria a uma deliberação do Sindpd, que atendeu aos anseios daqueles que já contribuíam e estavam incomodados com os que nada pagavam, mas tinham os mesmos direitos", analisa Neto, ressaltando que o Sindicato trabalha com o conceito de que os contribuintes - trabalhadores não sócios que não se opõem às contribuições - têm o direito de usufruir das conquistas obtidas nas negociações coletivas.

Na esteira desse conceito, houve uma queda de 20% no número de oposições em relação a 2018. Os novos filiados e os trabalhadores que não apresentaram a carta de oposição têm a consciência da necessidade de um sindicato forte e atuante para os enfrentamentos, como agora em que a negociação da CCT 2019 está paralisada.

"Algumas empresas continuam a pressionar os trabalhadores a entregar a carta de oposição. Mesmo com essa intimidação, elas têm em seus quadros sócios e contribuintes que apoiam o Sindpd, por isso devem respeitar os resultados das assembleias e o desejo dos trabalhadores de TI", completa Neto.

Convenção Coletiva 2019

Após o fim das negociações da CCT deste ano - por intransigência patronal -, o Sindpd está aberto às empresas de todo o estado para a formalização de acordos coletivos que visem manter os direitos da categoria e estabelecer os reajustes das cláusulas econômicas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário