segunda-feira, 25 de junho de 2018

Trabalhadores da Cobra aprovam proposta do TST e retornam ao trabalho

Trabalhadores da Cobra aprovam proposta do TST e retornam ao trabalho
via Sindpd

Nesta quinta-feira, 21, mais de cem trabalhadores da Cobra Tecnologia marcaram presença na primeira assembleia realizada após a mesa de conciliação realizada em Brasília, na tarde desta quarta, 20, para deliberar a proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e o fim da greve.

O integrante da Organização no Local de Trabalho (OLT) Wildston Xavier de Mesquita, um dos participantes da mesa de conciliação, explicou aos colegas que a proposta do TST sugere que a empresa renuncie aos descontos dos dias de greve, que foram efetuados no holerite do mês de junho, e devolva aos trabalhadores grevistas o que foi descontado até o dia 6 de julho, podendo haver antecipação, se possível.

Outra perspectiva abordada pelo Tribunal prevê que o dissídio seja levado a julgamento para conseguir a manutenção das cláusulas sociais e o reajuste salarial do ano de 2017 pela variação do INPC, retroativamente à data-base. A estimativa é de que o julgamento ocorra no dia 10 de setembro.

Por maioria de votos, a proposta foi aprovada, e os trabalhadores voltam aos seus postos de trabalho nesta sexta-feira, às 12h. O diretor Celso Lopes elogiou a coragem dos trabalhadores em aderir à greve. "Não é fácil, porque cada um de vocês tem suas famílias, e dizer para eles que você não está indo trabalhar por uma causa, seja ela qual for, porque nem todos tem o mesmo entendimento e muitas vezes somos cobrados por isso", disse. "Os colegas de outros estados também mostraram seu brio quando se posicionaram contrários às ações de suas pseudolideranças".

Para manter a união da categoria, que levou os trabalhadores a lutarem pelos seus direitos, os funcionários também decidiram, por maioria de votos, se manterem em estado de greve. A iniciativa aprovada pelos trabalhadores é um alerta à Cobra Tecnologia de que uma nova paralisação não está definitivamente descartada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário