segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Em ação nas empresas de TI, Sindpd orienta os trabalhadores sobre a reforma trabalhista

Em ação nas empresas de TI, Sindpd orienta os trabalhadores sobre a reforma trabalhista
via Sindpd

A reforma trabalhista entrou em vigor em novembro e ainda há muito o que se debater dadas as incertezas da Lei 13.467/2017. Na manhã desta terça-feira, 5, diretores do Sindpd se espalharam por São Paulo para marcar presença nas portas das empresas de Tecnologia da Informação para a distribuição da última edição do jornal do Sindpd, que trata da reforma trabalhista. O objetivo é orientar e esclarecer os trabalhadores sobre a reforma, como afeta o profissional de TI e a CCT que protege e rege seus direitos.

Durante o corpo a corpo com a categoria, a diretoria apresentou os principais benefícios da Convenção Coletiva e de que maneira tais conquistas consolidaram a CCT como uma das quatro melhores do País. Com o início da Campanha Salarial 2018, o Sindpd estará junto com a categoria para evitar os retrocessos da reforma trabalhista. A ação de panfletagem nas empresas provou que essa é uma luta que também terá o apoio dos profissionais da área. Na Prodesp, Totvs, ADP, Capgemini, T-Systems e Tivit, o jornal do Sindicato chegou às mãos de mais de 3 mil trabalhadores.

Na ADP, os diretores aproveitaram a oportunidade para explicar a importância da leitura do especial sobre a reforma trabalhista porque ele explica, em detalhes e de maneira objetiva, como a reforma afeta a profissão, as conquistas da categoria e como o trabalhador deve estar atento para se proteger e evitar perdas de direitos.

Luta pelo trabalhador

Na Totvs a receptividade foi grande ao saber do trabalho que o Sindpd está exercendo sobre o tema. Os diretores esclareceram a importância de a categoria estar ainda mais unida ao Sindicato para a negociação do próximo ano. Mais de 600 exemplares do jornal foram entregues aos trabalhadores da empresa.

O momento é de reafirmar as conquistas do Sindpd para a categoria, como a obrigatoriedade do vale-refeição, da apresentação da PLR, do auxílio-creche, participação no plano de saúde e, especialmente, a manter as 40 horas de jornada de trabalho, conquistas que estão sendo ameaçadas pela reforma trabalhista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário