terça-feira, 28 de novembro de 2017

União entre trabalhadores de TI e Sindpd fica ainda mais forte após a reforma trabalhista

União entre trabalhadores de TI e Sindpd fica ainda mais forte após a reforma trabalhista
via Sindpd

Confiantes sobre a atuação do Sindpd na luta contra os retrocessos da reforma trabalhista, os profissionais de Tecnologia da Informação do estado de São Paulo demonstraram estar ainda mais unidos durante o lançamento da Campanha Salarial 2018. Sob o lema "Não há justiça no mundo, a menos que a façamos", a 21ª SindpdFest foi palco para o primeiro grito de guerra da categoria após a Lei 13.467/17 entrar em vigor.

O trabalhador Hugo Dias Souza, sócio do Sindicato desde 2002, foi um dos 8 mil profissionais que reforçaram seu apoio ao Sindpd para o início das negociações coletivas neste domingo (26). Segundo o funcionário da CTIS, "o povo precisa se sindicalizar" para fortalecer a defesa dos direitos da categoria.

Após a aprovação da reforma trabalhista e da Medida Provisória (MP) 808, mudanças e inclusões de modalidades de emprego, como o trabalho intermitente, a jornada 12x36 horas, a chamada "pejotização" e a retirada da obrigatoriedade de as rescisões contratuais serem homologadas no Sindicato ameaçam direitos dos profissionais da área.

"O Sindicato está à minha frente. Eu pago R$ 25 por mês e meus dois filhos estudam no Colégio Drummond porque eu pego desconto de 20% a 30% com o Sindpd. Foi o Sindicato que facilitou a entrada deles na escola particular. [E agora], imagina com essa reforma como é que vai ficar. Eu quero que o Brasil cresça, mas não tire de quem mais trabalha, de quem mais contribui para o País", destaca Hugo, ratificado por Matheus Alves Pimenta.

Sindicalizado há um ano e dois meses, Matheus acredita que o Sindicato é a principal defesa dos direitos dos trabalhadores de TI. Para o profissional da Sonda IT, unidade de São José dos Campos, "como [o governo] está mudando muito as leis trabalhistas, tirando cada vez mais nossos benefícios, é importante que o Sindicato continue lutando para melhorar as condições do trabalhador brasileiro".

O apoio à atuação do Sindpd também foi expresso pela aposentada da Serpro Silvana Despotopoulos. Sócia do Sindicato desde sua fundação (1984), a trabalhadora do município de Santos afirma que a Entidade "é tudo" para a resistência às reformas trabalhista e previdenciária, principalmente às gerações de profissionais que ainda precisam se aposentar.

"Eu trabalho na alfândega há 38 anos. Quando saiu o Sindicato, eu já estava nele. Hoje, sou aposentada há quase cinco anos e estou no Sindpd este tempo todo, [pois] é o Sindicato quem grita. Nós somos voz miúda", ressalta Silvana. De acordo com a aposentada, "o Sindicato é quem tem força. Por mais que nós, trabalhadores, gritemos, o Sindicato é maior, sempre é maior".

SindpdFest e benefícios

Não é só a luta contra a reforma trabalhista que une os profissionais de TI ao Sindpd. Há 33 anos, o Sindicato se dedica para ampliar cada vez mais a cartela de benefícios oferecidos aos associados na Convenção Coletiva de Trabalho. Colônia de férias, descontos em instituições de ensino e parques aquáticos, além da própria SindpdFest - confraternização anual da categoria promovida pelo Sindicato - são apenas algumas vantagens de ser sócio(a) da Entidade.

Rodrigo Coradi, funcionário da CM Informática, de Assis, elege o desconto em parques aquáticos o melhor serviço à sua família. "Eu utilizo o desconto há três anos, desde que me associei. Eu tenho uma filha pequena, então dá para a gente aproveitar bastante. É bom para a minha família", conta.

Já Giovana Lazaro, também da cidade de Assis, destaca a SindpdFest como um dos principais benefícios do Sindicato. "É a segunda vez que venho ao evento. A festa é sem palavras, maravilhosa. Vim pela primeira vez ano passado e não dá para perder. E as atrações deste ano estão muito legais. O que a gente contribui é pouco perto dos retornos que temos em tudo", afirma a funcionária da VSM Informática.

A edição da SindpdFest deste ano contou com dez apresentações. Entre elas, a dos cantores e grupos Péricles, Pixote, Edson e Hudson e Hugo e Tiago. Além dos shows, os associados também concorreram a prêmios, como Iphone, TV de LED 47" e um carro 0 Km.

Confira a seguir o que outros trabalhadores pensam sobre a atuação do Sindpd:

José Augusto da Silva, da Prodam:
"O Sindicato é quem representa a gente, e nos sentimos seguro [assim]. A gente confia cegamente [no Sindpd]. O que ele decide a gente sabe que foi a melhor coisa a ser feita. Eles sempre vão para o lado do funcionário".

Elisiane da Silva Pinheiro, da Wolters Kluwer: 
"Eu acho extremamente importante o Sindicato fazer nossa defesa, porque se não tivesse o Sindicato, a gente não ia ter defesa. Como iríamos nos organizar e tomar decisões para termos melhorias?"

Lincoln Aoki, da GIP:
"Com a nova lei da reforma trabalhista, é imprescindível que o Sindicato faça a interferência pelos trabalhadores. Pelo que eu vi da nova CLT, o trabalhador sempre acaba perdendo, por isso que eu falo que o Sindicato é fundamental para o trabalhador. Eu estou sempre curtindo o site do Sindpd e dando comentários".

Alexandre Pereira, da Tecban:
"Eu acho muito boa essas oportunidades [os benefícios do Sindpd]. E tenho positividades em relação ao Sindpd. Em todos os anos eu participo de tudo, contribuo, enfim, eu tenho grandes possibilidades [ao ser sócio] e aposto 100% no Sindpd".

José Augusto da Silva Júnior, da Web Managers:
"É legal ver o Sindicato trabalhando pelos trabalhadores. Se não fosse ele, a gente não ia ter isso [os benefícios]. É bem bacana".

Nenhum comentário:

Postar um comentário