sexta-feira, 31 de março de 2017

Sindicatos da capital se reúnem para discutir mobilização contra PEC 287 e 1º de Maio

CSB Sindicatos da capital se reúnem para discutir mobilização contra PEC 287 e 1º de Maio
via CSB

Dirigentes sindicais de diversas entidades filiadas à Central dos Sindicatos Brasileiros na capital e região metropolitana estiveram reunidos, na manhã desta quinta-feira (30), em São Paulo, para discutir detalhes sobre a festa do 1º de Maio da Central e das manifestações que a CSB realizará no 28 de abril, Dia Nacional de Paralisação contra as reformas da Previdência, trabalhista e terceirização.

Vários assuntos foram discutidos na reunião, entre os quais: a estrutura do evento do dia 1º de Maio e os artistas que já confirmaram presença, entre eles Michel Teló, Paula Mattos, João Bosco e Vinícius, Simone e Simaria, Jads e Jadson, Bruno e Marrone, Zezé Di Camargo e Luciano. O evento acontece no Memorial da América Latina, Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 – Barra Funda, São Paulo – SP.

Para o vice-presidente da CSB, José Avelino Pereira (Chinelo), esse encontro que reuniu mais de 20 entidades, representando as mais diversas categorias foi fundamental para definir as principais bandeiras de luta do 1º de Maio da Central e das manifestações de 28 de abril.

“Nós queremos ter um 1º de Maio voltado para o trabalhador e para os interesses dos trabalhadores. Este ano é um ano de muitas lutas contra os retrocessos nos direitos trabalhistas, por isso queremos que todos os trabalhadores vão à luta e demonstrem a força que têm. Esta festa do trabalhador será um marco. Somos a central sindical mais jovem e com mais força e engajamento. Estamos nos organizando para que ônibus distribuídos em pontos estratégicos de São Paulo levem os trabalhadores até o Memorial da América Latina e se juntem a nós nesse momento de celebração e união”, avaliou o vice-presidente.

Emerson Morresi, secretário de Relações Internacionais da CSB, acredita que o ano de 2017 apresenta muitos desafios para a classe trabalhadora. “É muito importante reunirmos a base de sindicatos da CSB para debatermos as dificuldades e os problemas que o movimento sindical tem enfrentado, como a redução de direitos trabalhistas. Estamos aqui ouvindo cada sindicato para adotarmos as devidas providências e também saber as necessidades de cada categoria. Levaremos esses debates para o 1º de Maio e também para as ruas no dia 28”, ressalta.

Segundo Igor Tiago Pereira, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Itatiba e Região (SindMetal Itatiba), é muito importante que os trabalhadores compareçam no 1º de Maio da CSB como também protestem no Dia Nacional de Paralisação. “Desta forma, o governo irá sentir a força do trabalhador e escutar as vozes da rua, por isso é preciso que todos os brasileiros se unam no dia 28 de abril e mostrem sua insatisfação com os projetos de lei que estão correndo a passos largos no Congresso”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário