quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Seminário debaterá regulamentação da profissão de TI

Seminário debaterá regulamentação da profissão de TI
via Sindpd

A regulamentação da profissão de TI será o tema central do Seminário de Pauta 2016 - evento anual que analisa as reivindicações da categoria e norteia os debates da Campanha Salarial. Nessa edição, que acontece nos dias 13 e 14 de outubro, as inscrições serão abertas aos sócios do Sindpd e o evento será transmitido ao vivo pelo site Convergência Digital.

A busca pela regulamentação faz parte de uma luta histórica, defendida pelo Sindpd desde 1978. Esta batalha culminou em um encontro em junho desse ano com o presidente Michel Temer. Como resultado da reunião, o Sindpd se comprometeu a produzir a minuta de um projeto de lei sobre o tema.

Com a realização do Seminário, o Sindicato pretende ouvir a opinião de diversos segmentos, analisar os prós e contras, debater as diferentes visões e dar voz aos trabalhadores - para que, desta maneira, o texto do projeto contemple todas as demandas dos profissionais.

Para fomentar o debate e promover argumentações legítimas, foram convidados representantes dos mais variados segmentos, ligados a diversos cenários da área de tecnologia da informação. Entidades patronais como a Brasscom, Seprosp, Fenainfo, e ABES, e também a SBPC, integram o quadro de debates. No âmbito legislativo, o Seminário convidou parlamentares atuantes no setor, além de membros das comissões de Ciência e Tecnologia no Congresso Nacional, e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Representantes da área acadêmica e profissionais de ofícios regulamentados também serão ouvidos.

Valorização e combate à precarização

Com uma força de trabalho formada por mais de 400 mil profissionais com elevada qualificação, o segmento de tecnologia da informação ainda não atingiu o seu grau máximo de maturidade. A iniciativa de regulamentar a profissão de TI supre a necessidade de especialização que a área exige, evita a atuação de empresas predadoras e põe fim na pulverização da categoria - valorizando o profissional, fortalecendo a organização dos trabalhadores e pondo fim à precarização da classe.

Ao invés do que afirmam empresários e acadêmicos opostos à regulamentação, a medida não resulta no engessamento do mercado e na burocratização do setor. Contrariamente, fortalece a representação da categoria - uma vez que estabelece regras de atuação - e impede a disseminação de PJs e o consequente esmagamento de salários, elevando o número de funcionários protegidos pela Consolidação das Leis do Trabalho.

Com a regulamentação, os avanços já conquistados para os trabalhadores que operam dentro das empresas de TI - tais como a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, exigência de pagamento de vale-refeição e obrigatoriedade de acordos de PLR - estarão garantidos também aos profissionais que desempenham atividades em ramos distintos do mercado. É o caso de técnicos, analistas e programadores que atuam em indústrias e no comércio.

Casos bem-sucedidos de ofícios que foram regulamentados evidenciam melhorias nas condições de trabalho e segurança. No setor de TI, a medida beneficia diretamente profissionais que desenvolvem projetos e sistemas para áreas sensíveis, tais como segurança, saúde e transportes. A definição clara dos direitos e obrigações protege os trabalhadores e traz reflexos para a sociedade em geral.

Diante da grandiosidade e relevância do tema e das inúmeras dúvidas e discussões acerca da regulamentação da profissão de TI, o Sindpd promove o Seminário de Pauta 2016 - com a premissa de que o debate é essencial e indispensável.

Categoria ativa

Nesta edição, o Seminário de Pauta contará com a participação ativa da categoria. Diante da relevância do tema e da influência da regulamentação na vida do profissional de TI, associados do Sindpd poderão acompanhar as discussões nos dias 13 e 14 de outubro.

Os interessados devem se inscrever a partir de 20/09 no site do Sindicato (clique aqui). As vagas são limitadas e as inscrições vão até o dia 3/10.

Fingerprint contrata programadores PHP e PHP Designer

Fingerprint contrata programadores PHP e PHP Designer
via Sindpd

A Fringerprint, indústria gráfica localizada em Alphaville, abriu duas vagas para o setor de tecnologia da informação. Uma delas é para Programador PHP, com experiência de dois anos em linguagem PHP, WebServices, HTML, CSS, Jquery, Bootstrap e banco de dados MySQL.

A outra é para candidatos que tenham habilidades nos programas citados na primeira vaga, além de experiência em editores de imagens como Photoshop, Illustrator, Fireworks, InDesign, entre outros. Também é exigida a experiência de dois anos na função.

Os interessados devem encaminhar currículo para selecao@fingerprint.com.br

Detalhes das vagas:

PROGRAMADOR PHP
- Requisitos: Experiência mínima de 2 anos utilizando as linguagens PHP, WebServices, HTML, CSS, Jquery, Bootstrap e banco de dados MySQL.
- Superior Cursando e/ou Completo nas áreas de Tecnologia.
- Salário a combinar + benefícios

PROGRAMADOR PHP DESIGNER
- Requisitos: Experiência mínima de 2 anos, utilizando as linguagens PHP, WebServices, HTML, CSS, JQuery, Bootstrap e banco de dados MySQL e Editores de imagem Photoshop, Illustrator, Fireworks, InDesign, entre outros.
- Superior Cursando e/ou Completo nas áreas de Tecnologia e Web Designer.
- Salário a combinar + benefícios

Após demissões na Consist, Sindpd solicita intervenção do Ministério Público do Trabalho

Após demissões na Consist, Sindpd solicita intervenção do Ministério Público do Trabalho
via Sindpd

Graças à ação do Sindpd, cinquenta e sete funcionários despedidos pela Consist Software contarão com o respaldo do Ministério Público do Trabalho (MPT) no recebimento das verbas rescisórias. Na última segunda-feira (19), o Sindpd esteve na Procuradoria Regional do Trabalho da 2ª Região para participar de uma mediação com representantes da empresa.

No início de setembro, o Departamento Jurídico do Sindpd solicitou a intervenção do Ministério Público do Trabalho para tratar da demissão em massa na Consist. Com o objetivo de reduzir ao máximo os danos causados aos trabalhadores, a iniciativa se deu após o pedido de parcelamento das verbas rescisórias feito pela empresa em agosto. A ação de submeter o caso ao MPT diminuiu o número de parcelas de doze para dez e assegurou o recebimento sob a pena de multa e indenização.

Segundo o diretor do Departamento Jurídico do Sindpd, José Eduardo Furlanetto, submeter o caso à apreciação do Ministério Público foi a solução mais acertada, uma vez que o órgão possui instrumentos de coerção e oferece a garantia de recebimento e execução. "Como a única alternativa era o parcelamento, a garantia se dá pelas penalidades que o Ministério Público impôs em caso de inadimplência", explica.

As condições do acordo foram determinadas no Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta (Tac), estabelecido sob a supervisão do Procurador do Trabalho da 2º Região Ronaldo Lima dos Santos. De acordo com o documento, em caso de não cumprimento dos termos, a multa prevista é de 100% sobre as parcelas vincendas - ou seja, a vencer. A multa não substitui ainda a ação indenizatória por danos morais ou materiais. Para Eduardo Furlanetto, a postura rigorosa do Procurador do Trabalho em relação aos direitos em discussão foi fundamental na resolução do caso.

Beni Jacques, membro da comissão dos funcionários que participou da mediação, elogiou a posição do Sindicato. "Eu não esperava tamanha atuação por parte do Sindpd. Não apenas pelo Dr. Ronaldo [Lima dos Santos, Procurador] mas também pelo Sindicato. Ambos foram fortes a ponto de não deixar que os funcionários fossem mais prejudicados. Graças ao Sindpd nós conseguimos perder menos", avalia.

A partir das homologações agendadas para esta quinta-feira (22), estarão liberados o saque do FGTS e do seguro-desemprego dos empregados.

Entenda o caso

Em agosto, a empresa de tecnologia Consist Software demitiu 57 funcionários. A companhia entrou em contato com a diretoria do Sindicato para tratar sobre a homologação de rescisões de contratos de trabalho, parcelados em no mínimo doze vezes. Alvo da operação Custo Brasil, a Consist é apontada como gestora de propina no esquema montado no Ministério do Planejamento para desviar recursos de empréstimos consignados.

Com o objetivo de zelar pelos trabalhadores, o Sindpd acionou o Ministério Público do Trabalho. O caso foi submetido à apreciação do MPT, e em 19 de setembro o pagamento das verbas rescisórias foi estabelecido em no máximo 10 vezes. A proposta inicial da empresa era dividir o pagamento em doze vezes para todos os funcionários.

Ao final da mediação, estabeleceu-se o pagamento de parcelas que poderão variar entre três e dez - estipuladas de acordo com o valor dos salários. Além disso, em caso de inadimplência, a multa será de 100% sob o valor total, transformando as parcelas vincendas em vencidas. Conforme consta no documento, a multa não substitui a ação indenizatória por danos morais ou materiais.

domingo, 4 de setembro de 2016

"O Sindpd é bastante engajado, briga pelos nossos direitos", diz Claudia Perez

F&I Brasil Sindpd é bastante engajado briga pelos nossos direitos PLR Claudia Perez
via Sindpd

Com o aval da comissão de empregados, a F&I Brasil renovou a Participação nos Lucros referente a 2016. No último dia 30 de agosto, Edison Alexandre Galli esteve na sede da empresa, em São Paulo, para negociar as condições do acordo.

Claudia Regina Perez, que faz parte do quadro de funcionários da F&I há seis anos, acredita que o processo foi esclarecedor. "É importante que os funcionários participem e tenham conhecimento para saber como é a dinâmica. Às vezes a gente só fica sabendo do resultado, mas não como funciona o acordo e quais são os processos e os caminhos para se chegar até o resultado final". Ao lado de Edilena Sandra Costa, Claudia fez parte da comissão que representou os trabalhadores durante as negociações.

Para o diretor Edison Alexandre Galli, esmiuçar o documento e esclarecer dúvidas é parte fundamental do processo. Galli defende a aproximação da categoria com o Sindicato e reforça o comprometimento do Sindpd com o profissional de TI. "Os acordos de PLR são essenciais. Além de garantir um direito previsto na Convenção Coletiva, oferece a oportunidade de estar frente a frente com o trabalhador", comenta Galli. Claudia Perez ratifica a afirmação e conta que conheceu os benefícios de ser associada por meio da reunião realizada no dia 30. "Eu fiquei bastante interessada. Vou pesquisar, mas é algo que gostei bastante. O Sindpd é bastante engajado, oferece vantagens e briga pelos nossos direitos", reitera.

Entre os sete funcionários que serão beneficiados com o pagamento da PLR - previsto para março de 2017 - está Erika Vanessa Romano. A coordenadora administrativa justificou a relevância do auxílio, visto como fator motivacional. "No trabalho, para atingir as metas e receber o PLR, não é só o valor monetário que conta, mas sim a motivação de cada um para alcançar seu objetivo", explica. Sobre a atuação do Sindicato, Erika é enfática - "o Sindpd demonstra um grande esforço para conseguir mais benefícios e melhorar o que já oferece para os funcionários da categoria".

PLR é realidade para 567 funcionários da Sage

Sindpd PLR é realidade para 567 funcionários da Sage
via Sindpd

No último dia 25, os funcionários da Sage Brasil Software aprovaram a proposta de acordo de Participação nos Lucros e/ou Resultados apresentada pela empresa. 567 trabalhadores vão receber o valor do benefício em única parcela até o dia 20 de dezembro.

Segundo Mirian Kronka e Abaitaguara do Amaral Gonçalves, diretores do Sindpd que acompanharam as negociações, o trabalho do Sindicato continua firme para que haja o reconhecimento merecido. "Nós, enquanto Sindicato, estamos nos esforçando para que a Sage entenda o conceito da PLR, que precisa ser bom para os dois lados. A cada dia procuramos fazer com que os funcionários se sintam valorizados e contemplados com a PLR", concluiu Mirian.