segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Sindicato patronal melhora proposta, mas índices ficam abaixo da reivindicação

Campanha Salarial 2016 Sindpd
via Sindpd

Na tarde desta quarta-feira, 03, as comissões de negociação do Sindpd e Seprosp se reuniram para tentar firmar acordo. Nesta quinta mesa de negociação da Campanha Salarial, os empresários oferecem 9% de reajuste com abono de 24% (sobre o salário de dezembro de 2015) a ser pago em setembro. O parcelamento do reajuste, em duas vezes (5% em janeiro e 4% em julho), foi mantido. Inicialmente, o Seprosp havia apontado reajuste de 8,5%, com abono na ordem de 29%, mas, diante da negativa da comissão do Sindpd, resolveram pausar a reunião para melhorar a proposta.

Nominalmente, a oferta do sindicato dos empresários se aproxima do índice de inflação medido pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), de 10,67%, mas ainda é insuficiente às expectativas da categoria. "Queremos buscar um indicador integral da inflação. Até aceitamos discutir um índice para o abono, de modo a compor as possíveis reposições, que uma proposta parcelada representaria dentro deste conceito. Avançamos nesta rodada, mas a proposta ainda é incompatível com a realidade do setor", ressaltou Antonio Neto, presidente do Sindpd.

De acordo com o argumento do presidente do sindicato patronal, Luigi Nese, a condição de parcelamento do reajuste é uma medida que visa atender à preocupação das empresas com o fundo de caixa, embora a previsão de investimento do setor continue em números crescentes (US$ 3,5 trilhões em 2016 em todo o mundo) segundo dados da consultoria Gartner. "Acho que [com esta proposta] a gente minimiza o fluxo de caixa das empresas e não prejudica o nível de reajuste total dos trabalhadores. Os recursos chegariam numa forma faseada [parcelada], mas sem ter diminuição dos índices", afirmou Nese.

Para o presidente do Sindpd, os empresários precisam considerar os efeitos da inflação no longo prazo, uma vez que os índices definidos não atuam isoladamente, mas, sim, têm ressonâncias nas negociações futuras. "Eu não abro mão de ter a garantia da inflação, pois o trabalhador não pode arcar com uma perda do seu poder de compra. A inflação corroí os salários no mês a mês, e é preciso ter no horizonte o que isto representa ao longo do ano", afirmou Neto. Na busca por conciliação, as comissões de negociação do Sindpd e do Seprosp convocaram nova reunião (6ª rodada) para o dia 15 de fevereiro, às 14h.

Confira as propostas apresentadas na 5ª rodada de negociação:

Proposta do Seprosp

- Reajuste salarial de 9%, parcelado em duas vezes (5% em janeiro e 4% em julho), com abono salarial de 24% (sobre o salário de dezembro), a ser pago em setembro próximo;
- Vale-refeição (VR) de R$16,50 para profissionais alocados na capital, e de R$ 15,70, para os das demais regiões.

Reivindicação do Sindpd

- Reajuste salarial de 11,28%;
- Vale-refeição (VR) de R$20 e R$ 15 à categoria, considerando jornadas de oito e seis horas diárias, respectivamente;
- Multa em caso de descumprimento do prazo (120 dias) para apresentação da proposta de PLR;
- Assistência Médica sem ônus para os profissionais;
- Licença maternidade de 180 dias;
- Auxílio-alimentação no valor fixo de R$90 reais;
- Reembolso de 50% do valor da mensalidade ao empregado que estiver fazendo curso que vá ao encontro dos interesses da empresa;
- Dia livre em 19 de outubro (dia do Profissional de TI);
- Vale-Cultura;
- E adicional de 3% do salário mensal do empregado, para cada cinco anos trabalhados, a título de quinquênio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário