domingo, 24 de janeiro de 2016

Sovinice patronal se mantém e Sindpd discutirá possibilidade de greve

terceira rodada negociação Campanha Salarial 2016 Sindpd Seprosp
via Sindpd

Na tarde desta quarta-feira, 20, aconteceu a terceira rodada de negociação da Campanha Salarial 2016, sem grandes surpresas. Na toada das propostas anteriores, o sindicato dos empresários manteve a sovinice e apresentou oferta de reajuste de 7%, com a mesma condição de parcelamento: a primeira para janeiro e a segunda para julho. De acordo com o presidente do Sindpd, Antonio Neto, não é possível considerar a proposta, uma vez que ela sequer se aproxima das condições minimamente aceitáveis para um processo negocial. "Não há conversa sem a reposição da inflação, isto é inegociável. A diretoria do Sindpd se reunirá amanhã [21/01] para debater os rumos da negociação salarial. As manifestações da categoria que chegam ao Sindicato são unânimes no sentido de decretarmos a greve. Caso não ocorram avanços, este será o caminho inevitável", afirmou.

Para Neto, embora tenha havido pequena elevação do percentual de reajuste, o índice está abaixo da taxa de inflação, e não representaria ganho algum à categoria, visto que sequer repõe as perdas salariais. "Como já disse, com inflação não se pode brincar. É um índice que mexe com os ganhos do trabalhador, com seu poder de compra, e, portanto, com toda a economia. Não estou entendendo as dificuldades das empresas de TI. Embora tenha apresentado crescimento um pouco menor, o segmento foi um dos poucos setores econômicos que continuam avançando. O que estamos pedindo é correção monetária, para assegurar a dignidade do salário da categoria", ressaltou. Mostrando disposição na busca pelo acordo, o presidente do Sindpd expôs nova oferta de reajuste (de 11,28%).

"Ninguém mais do que o sindicato laboral quer acordo. Mas com as propostas apresentadas pelos empresários até aqui não dá sequer para pensar em qualquer tipo de acordo. Já vencemos uma etapa que foi o escalonamento [reajuste por faixa salarial] e agora precisamos superar esta ideia de faseamento [parcelamento do reajuste]. Os patrões devem considerar que a categoria está conosco nesta empreitada, e que as propostas do Seprosp repercutiram de modo extremamente negativo na base, os trabalhadores ficaram indignados com o que foi apresentado. Não há condição de diálogo sem reposição", assegurou.

Ao final da mesa, Antonio Neto destacou que está marcada para amanhã, 21, uma reunião com toda a diretoria do Sindpd para discutir possíveis caminhos a um desfecho favorável da Campanha Salarial. Segundo o presidente, na ocasião, os dirigentes devem expor as opiniões e relatos externados pelos trabalhadores de todo o Estado de São Paulo. " Eu não posso aceitar aquilo que, particularmente, eu não aceito e que a comissão não aceita. Estamos aqui representando a vontade da categoria. Eu recebi mais de 180 e-mails só de críticas sobre a última proposta, isto sem considerar os telefonemas. Ela não supre os anseios e, portanto, precisa ser mais discutida", finalizou.

A previsão é que a próxima rodada de negociação (4ª) seja realizada em 27 de janeiro, mas ainda não há horário definitivo. A expectativa da comissão do Sindpd é que os empresários reconsiderem o posicionamento adotado nas últimas rodadas e ofereça condições plausíveis para iniciar o processo de negociação.

Veja o resumo das propostas apresentadas na 3ª rodada de negociação:

Proposta do Seprosp

- Reajuste salarial de 7%, parcelado em duas vezes (janeiro e julho);
- Salários normativos sem proposta de reajuste;
- Vale-refeição (VR) de R$16,50 para profissionais alocados na capital, e de R$ 15,70, para os das demais regiões;
- Retirada da obrigatoriedade de apresentação do programa de Participação nos Lucros e/ou Resultados;
- Retirada da multa em caso de descumprimento do prazo para realização das homologações.

Reivindicação do Sindpd 

- Reajuste salarial e nos pisos de 11,28%;
- Vale-refeição (VR) de R$ 20 e R$ 15 à categoria, considerando jornadas de oito e seis horas diárias, respectivamente;
- Multa em caso de descumprimento do prazo (120 dias) para apresentação da proposta de PLR;
- Assistência Médica sem ônus para os profissionais;
- Licença maternidade de 180 dias;
- Auxílio-alimentação no valor fixo de R$90 reais:
- Reembolso de 50% do valor da mensalidade ao empregado que estiver fazendo curso que vá ao encontro dos interesses da empresa;
- Dia livre em 19 de outubro (dia do Profissional de TI);
- Vale-Cultura;
- E adicional de 3% do salário mensal do empregado, para cada cinco anos trabalhados, a título de quinquênio.

sábado, 23 de janeiro de 2016

'Hello', de Adele, quebra recorde de 'Gangnam Style' no YouTube

Gangnam Style Psy Adele Hello
via IDGNow

Adele quebrou mais um recorde com o seu hit “Hello”: o vídeo da música é o mais rápido da história a alcançar 1 bilhão de visualizações no YouTube. Foram necessários apenas 88 dias para chegar nesta marca. Com isso, a cantora britânica conseguiu superar com folga o recorde anterior, que pertencia ao clipe de “Gangnam Style”. Lançado em 2012, o vídeo do cantor sul-coreano levou quase o dobro do tempo, 160 dias, para chegar a 1 bilhão de views no YouTube.

No entanto, o single que marca a volta de Adele após quatro anos ainda está longe de alcançar “Gangnam Style” em número total de visualizações no site de vídeos do Google. Até o fechamento da reportagem, o vídeo de Psy tinha mais de 2,5 bilhões de visualizações, muito acima dos pouco mais de 1 bilhão de views de “Hello”. Dona da segunda colocação com o clipe de “Blank Space”, a cantora americana Taylor Swift tem cerca de 1,4 bilhão de views no site.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Vírus roubou dados de cartões de crédito em hotel de SP, revela Hyatt

Vírus roubo dados cartões de crédito hotel Hyatt
via G1

A rede hotéis Hyatt revelou que o hotel Grand Hyatt São Paulo está entre as unidades comprometidas por um vírus de computador que roubou dados de cartões de crédito usados por clientes nas dependências físicas do hotel. Em um anúncio publicado na semana passada, a Hyatt disponibilizou uma lista dos hotéis que foram comprometidos no mundo todo e disse que vai entrar em contato com os clientes por correio e por e-mail - conforme os dados disponíveis sobre cada cliente -, para avisar sobre o problema.

Cerca de 200 hotéis da Hyatt no mundo todo sofreram com o ataque. No Brasil, apenas a unidade de São Paulo foi afetada -- o único outro estabelecimento da rede no país, no Rio, só deve começar a receber clientes em março de 2016. O período de risco é o de 13 de agosto a 8 de dezembro de 2015. O vírus roubou apenas informações dos cartões, como nome, data de validade, informações da tarja magnética e o número. Outros dados de clientes não teriam sido extraviados.

Clientes que utilizaram o cartão nas dependências do hotel no período de risco podem receber um ano de proteção gratuita contra fraudes no cartão. A proteção deve ser oferecida pela CSID, que criou uma página específica para receber os clientes da Hyatt. A Hyatt diz que tomou rapidamente todas as providências necessárias e que contratou especialistas para investigar o problema e aumentar a segurança dos hotéis. A empresa diz que também está trabalhando com as autoridades policiais e recomenda que clientes fiquem de olho na fatura do cartão para avisar o banco emissor no caso de alguma compra fraudulenta.

Mais 2.690 trabalhadores são beneficiados pela PLR

Sindpd PLR
via Sindpd

CPM Braxis S/A e CPM Braxis Tecnologia Ltda
Por votação unânime, os funcionários da CPM Braxis S/A e CPM Braxis Tecnologia Ltda, que pertencem ao mesmo grupo, aprovaram o acordo de PLR referente ao ano de 2015. Cerca de 2663 trabalhadores serão beneficiados. A assembleia, que foi conduzida pelo diretor do Sindpd Paulo César de Almeida, aconteceu na sede do grupo em Barueri e teve a presença da comissão dos empregados, composta por Victor Gualtieri Arice e Donald Magno Santos. Segundo Paulo César, a negociação se deu de forma satisfatória. "Foi tranquila, podemos dizer que retomamos o diálogo positivo para avançar no tema no ano de 2016".  O pagamento da PLR será em única parcela até o dia 30 de junho de 2016.

PHD & CIA Ltda ME
A PHD & CIA firmou acordo de PLR pela primeira vez. A assembleia de negociação aconteceu dia 06 de janeiro, em Araçatuba. O diretor Walter Volpe, que esteve na reunião, alertou que por ser um primeiro acordo, a proposta teve boa aceitação por parte dos trabalhadores. "Fechamos um bom acordo, considerando ser o primeiro. A empresa já possui uma sistemática de avaliação de desempenho, que será incluída na proposta de PLR para o ano de 2016", concluiu o diretor do Sindpd. Os funcionários vão receber o valor do benefício em única parcela até 31 de janeiro.

Tokenlab Tecnologia da Informação Ltda
Daniel Forini também realizou assembleia de negociação de PLR com os trabalhadores da Tokenlab. A reunião aconteceu dia 14 de janeiro na sede do Sindicato em Araraquara. É a primeira vez que a empresa apresenta o acordo, que foi aceito pela maioria dos funcionários. O valor do benefício será pago em uma parcela, que contemplará cerca de 17 empregados. Para Daniel, a atuação do Sindpd é fundamental para a conquista do benefício. "Durante a reunião, ressaltei o papel fundamental do Sindpd nas conquistas para o trabalhador de TI. Os acordos têm sido um importante instrumento de distribuição de lucros. Isso mostra que apesar de todas as dificuldades, estamos vencendo o pessimismo", afirmou.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Twitter é processado por viúva de vítima de ataque do Estado Islâmico

Estado Islâmico
via G1

A viúva de um homem assassinado em um ataque em um centro de treinamento da polícia jordaniana processou o Twitter, acusando o site de microblogs de facilitar a disseminação de propaganda do Estado Islâmico. O Twitter não comentou o assunto nesta quinta-feira (14). Moradora da Flórida, Tamara Fields era esposa de Lloyd Fields Jr., ex-militar norte-americano que treinava forças policiais de países do Oriente Médio. Em 9 de novembro do ano passado, ele foi morto após ser atingido por um atirador, durante o ataque do Estado Islâmico a uma instalação da polícia em Amã, capital da Jordânia.

Tamara diz que o Twitter infringe a lei antiterrorismo dos Estados Unidos ao permitir deliberadamente o uso de seus serviços pelo grupo militante islâmico. A facção radical usa o Twitter e outras ferramentas digitais para espalhar propaganda, levantar dinheiro e atrair recrutas. Ela afirma que até recentemente o Twitter dava permissão para o Estado Islâmico manter contas oficiais no serviço.

"Sem o Twitter, o crescimento explosivo do EI nos últimos anos e que permitiu ao grupo se transformar no grupo terrorista mais temido no mundo não teria sido possível", disse Fields, de acordo com o processo apresentado na quarta-feira (13) no tribunal federal de Oakland, Califórnia.

domingo, 17 de janeiro de 2016

Seprosp diminui proposta de reajuste salarial para 4% parcelado em duas vezes

Segunda rodada negociação Campanha Salarial 2016 Sindpd Seprosp
via Sindpd

Após apresentar proposta considerada "bizarra" na primeira rodada da Campanha Salarial 2016, a comissão de negociação do Seprosp conseguiu se superar e piorar ainda mais a sua indicação de reajuste salarial. Na mesa desta tarde, 14, o sindicato patronal ofereceu índice de 4% condicionado a parcelamento em duas vezes, 2% a ser pago ainda em janeiro, e 2% para o mês de julho. As demais alterações solicitadas pelos empresários na última reunião também foram mantidas.

Embora admita que o setor de Tecnologia da Informação e Telecomunicações é um dos principais motores da econômica, o presidente do Seprosp, Luigi Nese, afirmou que é preciso considerar a situação do País. "Se estamos num momento de crise economia, em termos de crescimento e indefinição, tudo isso eu acho que nós temos que analisar com calma", disse, pouco depois de afirmar que, considerando o agrupamento com o segmento de Telecomunicações (TIC), "o setor é o segundo mais importante para a economia nacional. (...) e que emprega mão de obra qualificada, com média salarial alta, acima da economia como um todo".

Para o presidente do Sindpd, Antonio Neto, a nova proposta indicada pelo Seprosp é "indecorosa" e não reflete as previsões de crescimento do setor, tampouco os lucros obtidos pelo empresariado. De acordo com a consultoria Gartner, Tecnologia da Informação irá movimentar mais de US$ 96,5 bilhões no Brasil, número que representaria um aumento de 0,6% em relação aos US$ 95,8 bilhões previsto pela consultoria em 2015. "Não podemos admitir este tipo de coisa, não favorece em nada. Ou seja, achatar o salário dos trabalhadores justamente de um dos setores que mais tem condições, especialmente as transnacionais e internacionais, é inaceitável. O Tribunal tem garantido a reposição inflacionária. Não vou nem analisar uma proposta que afronta a dignidade dos trabalhadores", afirmou categoricamente após o anúncio do novo índice pelo patronal.

O dirigente também criticou a postura das grandes empresas que intencionam barrar o avanço do processo negocial. "As grandes empresas nunca vêm aqui, quando vem é para atrapalhar. Parece que, de novo, o grupo de empresas, as que mais lucram, querem confundir o processo", reprovou. Neto ainda destacou casos de companhias que utilizam de diversos estratagemas para corromper as garantias da classe trabalhadora. "Não sei se vocês sabem, mas a IBM tem um acordo particular, não segue a Convenção do Sindpd, faz acordo com outro sindicato, que faz a Convenção Coletiva para a categoria e aceita rebaixar o índice dos funcionários da IBM. Esse é o mesmo mecanismo que estão querendo trazer para a mesa de negociação, ou seja, submeter todas as empresas aos interesses das internacionais que querem escravizar os profissionais de TI", exemplificou.

Segundo o presidente, o caso da IBM já está aos cuidados do Ministério Público e deve garantir, aos trabalhadores prejudicados, ao menos cinco anos de pagamento retroativo de todas as cláusulas pactuadas. "Além de fazer o que faz com os trabalhadores, ainda não paga os direitos que os profissionais de TI têm de receber", disse Neto. Na primeira rodada de negociação, o patronal ofereceu reajuste salarial escalonado, de 8% para trabalhadores que recebem até R$ 2 mil, de 5,5% mais R$ 50 reais para aqueles cujo salário está acima desta faixa, e de 4% para profissionais com remuneração superior a R$ 5 mil, com acréscimo de R$ 125 na parcela, com o mesmo modelo de parcelamento adotado na reunião de hoje.

Para Antonio Neto, não há como seguir a negociação sem uma proposta plausível.  "Saio indignado com esta proposta indecorosa. Vou preparar nossas baterias, conversar com os trabalhadores sobre o que foi apresentado. A inflação é de 10,24% pelo IPCA [Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo] e de 11,28% pelo INPC [Índice Nacional de Preços ao Consumidor], não dá para brincar com estes índices. Está interrompida a negociação", sentenciou Neto.

A posição da Comissão de Negociação do Sindpd era, de pronto, consultar a categoria sobre os possíveis procedimentos de mobilização já nesta semana. Contudo, por solicitação da comissão patronal, o presidente do Sindpd concordou em aguardar nova assembleia dos empresários, bem como a apresentação de uma nova proposta minimamente razoável para que se inicie um processo coerente de negociação. "Se o patronal quiser renegociar, ele vai se reunir e vai nos chamar. Nossa categoria está de prontidão, cada dia mais indignada com a postura dos patrões. A nossa impressão é de que estão implorando por uma greve, a exemplo de anos anteriores", apontou. Há possibilidade de uma nova mesa no dia 20 de janeiro, mas a reunião encerrou-se sem definição exata para a realização da terceira rodada.

Confira abaixo o resumo das propostas apresentadas na 2ª rodada de negociação:

Proposta do Seprosp

- Reajuste salarial de 4%, parcelado em duas vezes (janeiro e julho);
- Salários normativos sem proposta de reajuste;
- Vale-refeição (VR) de R$16,50 para profissionais alocados na capital, e de R$ 15,70, para os das demais regiões;
- Retirada da obrigatoriedade de apresentação do programa de Participação nos Lucros e/ou Resultados;
- Retirada da multa em caso de descumprimento do prazo para realização das homologações.

Reivindicação do Sindpd 

- Reajuste salarial e nos pisos de 13,61%;
- Vale-refeição (VR) de R$20 e R$ 15 à categoria, considerando jornadas de oito e seis horas diárias, respectivamente;
- Multa em caso de descumprimento do prazo (120 dias) para apresentação da proposta de PLR;
- Assistência Médica sem ônus para os profissionais;
- Licença maternidade de 180 dias;
- Auxílio-alimentação no valor fixo de R$90 reais:
- Reembolso de 50% do valor da mensalidade ao empregado que estiver fazendo curso que vá ao encontro dos interesses da empresa;
- Dia livre em 19 de outubro (dia do Profissional de TI);
- Vale-Cultura;
- E adicional de 3% do salário mensal do empregado, para cada cinco anos trabalhados, a título de quinquênio.

sábado, 16 de janeiro de 2016

Brasil lidera índice de propagação global de trojans bancários

Brasil índice propagação global trojans bancários
via IDGNow

Um levantamento global realizado pela Eset revelou que, entre janeiro e novembro de 2015, o Brasil apresentou os maiores níveis mundiais de propagação de alguns dos principais trojans bancários. No período, o país respondeu por 82% de todas as detecções globais do TrojanDowloader.Banload, 72% do Spy.Bancos e 52% do Spy.Banker.

“O que chama a atenção é não só o grande volume de detecção de ataques bancários – que hoje são o principal ameaça virtual no país –, mas o comportamento particular desse tipo de ciberameaça no Brasil. No caso do TrojanDownloader.Banload, por exemplo, ele utiliza arquivos maliciosos com extensão CPL, encontrados apenas no mercado brasileiro”, pontua Camillo Di Jorge, country manager da fornecedora de soluções de segurança no país.

O levantamento aponta também que, enquanto existe um crescimento na penetração do TrojanDowloader.Banload e do Spy.Banker no país, por outro lado, há uma desaceleração nas ameaças do tipo Spy.Bancos no Brasil. Em janeiro de 2015, 85% das detecções das diferentes variantes desse código malicioso estavam no país, enquanto que, em novembro, esse índice caiu para 50%.

Principais ameaças

O Win32/TrojanDownloader.Banload é uma família de malware que se concentra em invadir as soluções de segurança e realizar download de outros códigos maliciosos voltados a roubar informações bancárias. Muitos desses códigos maliciosos são baseados em engenharia social e se passam por um documento confiável, a fim de enganar as suas vítimas. Essa ameaça em particular (Win32/TrojanDownloader.Banload) finge ser um documento do Office, no entanto, conta com dupla extensão .docx_.scr. Sua propagação se dá, especialmente, por meio de e-mails, nos quais os usuários acreditam tratar-se de um documento do Word, quando na verdade é um arquivo executável.

Já o Spy.Banker também é um código malicioso que em vez de modificar o arquivo de hospedagem, injeta o código infectado em determinados sites. Quando o usuário acessa a página, a mesma informação é enviada para um endereço de e-mail com os dados do usuário. Ainda a família do trojan Win32/Spy.Bancos.ACD é projetada para furtar dados bancários de instituições financeiras. Variantes desta família são diferenciadas pelos protocolos usados ​​para enviar os dados roubados, tais como FTP ou SMTP.

Para enganar o usuário, esse código usa páginas falsas de grandes bancos, porém alguns botões não funcionam. O malware monitora as ações da vítima na página falsa, esperando que os usuários entrem com seus dados bancários, como número de agência e conta. Depois a vitima é convidada a inserir um código alfanumérico de oito dígitos para autenticação, por meio de um teclado virtual e é nesse momento que o malware consegue capturar a posição do mouse e identificar os números teclados pelo usuário.

Android

Enquanto lidera os trojans bancários para computadores, no caso das ameaças para o sistema operacional Android, o país está entre os países com uma das mais baixas penetrações desse tipo de ataque, ficando fora da lista dos 50 mercados mais afetados por esse tipo de problema.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

60% das mulheres que trabalham com TI já sofreram assédio sexual

mulheres TI assédio sexual
via Sindpd

A indústria de tecnologia não tem uma boa reputação quando o assunto é igualdade de gênero ou tratamento a mulheres. Pois uma pesquisa recém-divulgada endossa a má fama em questão. Batizada de "Elefante no Vale", o estudo detalha experiências de assédio sexual e moral, exclusão e tem como foco empresas do Vale do Silício.

Segundo suas co-autoras Trae Vassallo, investidora e ex-sócia da empresa de capital de risco Kleiner, Perkins, Caufield & Byers (KPCB) e a consultora de mídia, Michele Madansky, o estudo foi inspirado pelo julgamento de Ellen Pao contra a KPCB, empresa por onde trabalhou por sete anos. Pao reivindicava que a companhia a discriminou pelo fato de ela ser mulher, negando promoções, excluindo de eventos e pedindo que ela se sentasse ao fundo em reuniões. Ela, que chegou a ser CEO do Reddit, perdeu o caso.

"Elefantes são aquelas mulheres que enfrentam uma série de preconceitos conscientes e inconscientes no local de trabalho, e queríamos obter os dados sobre as experiências que as mulheres enfrentam em público para uma conversa", explica Trae Vassalo, ao Re/Code, sobre o título do relatório. A pesquisa ouviu mais de 200 mulheres com carreiras que beiravam dez anos de experiência. Mais de 70% delas estão acima de 40 anos e 75% delas têm filhos. Algumas das mulheres que responderam o estudo trabalham atualmente para empresas como Google, Apple, assim como startups. Tais profissionais estão em altas posições, com um quarto dela sendo executivas sênior e 11 sendo fundadoras de companhias. Separamos alguns dos resultados extraídos da pesquisa, você pode ter acesso a ela na íntegra nesse link.

- A 84% das mulheres foi dito que elas agiam de forma muito "agressiva";
- 88% tinham clientes e colegas que direcionaram perguntas aos colegas homens quando deveriam ser direcionadas a elas;
- 66% das mulheres foram excluídas de oportunidades sociais e de networking por conta de seu gênero;
- 60% reportaram abordagens de cunho sexual não desejadas, dois terços delas vindo de superiores;
- 39% das que foram assediadas não fizeram nada por medo de retaliação;
- 47% das entrevistadas disseram que já lhe foram direcionados pedidos que estavam abaixo de seus papéis, como tomar notas ou pedir comida, algo que não era pedido ou esperado de seus colegas homens;
- 75% das mulheres foram perguntadas sobre vida familiar, crianças e status de relacionamento durante entrevistas.

A pesquisa "Elefante no Vale" também abre espaço para mulheres compartilharem suas histórias através do site. A autoria delas permanecerá anônima.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Motorola: Lenovo decide abandonar marca e focar nas linhas Moto e Vibe

Motorola Lenovo marca Moto Vibe
via G1

A marca de celular Motorola deve deixar de ser usada ainda em 2016 para dar lugar às linhas Moto, para produtos de ponta e mais caros, e Vibe, para produtos de baixo custo, afirmou nesta quinta-feira (7) o diretor de operações da empresa, Rick Osterloh, em entrevista ao site CNET. "Nós vamos lentamente abandonar a Motorola", disse Osterloh ao CNET durante a Consumer Electronic Show (CES 2016), que acontece até este sábado (9) em Las Vegas, nos Estados Unidos.

Em nota, a Motorola afirma que "há muito tempo, 'Moto' tem sido sinônimo de Motorola e, recentemente, passamos a enfatizar o 'Moto' como uma marca de produto,  que representa e leva adiante a herança da Motorola como uma marca moderna e envolvente". A reportagem lembra que a Motorola já representou o ponto alto da telefonia móvel, inclusive por ter sido a marca do primeiro aparelho. Em 2011, a companhia foi comprada pelo Google por US$ 12,5 bilhões. Em 2014, no entanto, o Google revendeu para a chinesa Lenovo por US$ 3 bilhões.

Na época da aquisição, o CEO da Lenovo, Yang Yuanqing afirmou: "É o nosso tesouro. Nós planejamos não apenas proteger a marca Motorola, mas torná-la mais forte". O plano da Lenovo agora é manter o nome "Motorola" como uma subdivisão da companhia. Além disso, aparelhos como o Moto X deverão trazer destacar o logotipo azulda Lenovo. "Mas o icônico 'M' em forma de asa de morcego da Motorolada ainda será usado", informa o CNET.

Leia a íntegra da nota:
"A Motorola Mobility continua a existir como parte do grupo Lenovo, liderando as áreas de engenharia e design de todos os produtos móveis. Como estratégia de marketing, a empresa segue globalmente com duas marcas em smartphones e wearables: Moto e Vibe. Há muito tempo, 'Moto' tem sido sinônimo de Motorola e, recentemente, passamos a enfatizar o 'Moto' como uma marca de produto,  que representa e leva adiante a herança da Motorola como uma marca moderna e envolvente."

domingo, 10 de janeiro de 2016

Proposta bizarra dos patrões paralisa primeira rodada de negociação

Primeira rodada de negociação Sindpd Seprosp
via Sindpd

A primeira rodada de negociação da Campanha Salarial 2016, realizada nesta quinta-feira, 7, foi marcada por contrapropostas bizarras vindas do sindicato patronal. Como aventava-se, os empresários utilizaram o argumento da instabilidade econômica para sugerir reajuste salarial escalonado; isto é, de 8% para trabalhadores que recebem até R$ 2 mil, de 5,5% mais R$ 50 reais para aqueles cujo salário está acima desta faixa, e de 4% para profissionais com remuneração superior a R$ 5 mil, com acréscimo de R$ 125 na parcela. O Seprosp ainda propôs que o pagamento seja realizado em duas vezes, sendo o primeiro em janeiro deste ano e o segundo no mês de julho. Para o Sindpd, a não reposição das perdas inflacionárias representa redução dos salários dos profissionais de TI em todo o Estado.

"A palavra indignação talvez seja forte demais, mas também não cabe aqui uma palavra fraca. Não é possível. Primeiro, não está contemplando nem a inflação do período, segundo, parcelando. O que quer mexer, é para piorar. É preciso manter o que é de direito do trabalhador. Até a Justiça parte do princípio da necessidade de reposição das perdas inflacionárias. Não se pode aceitar a tentativa de retrocesso. Não me sinto contemplado por estas propostas e a categoria também não se sentirá", afirmou o presidente do Sindpd, Antonio Neto.

Na toada de pessimismo, que marcou a mesa, o sindicato das empresas ainda sugeriu cortes em direitos já consolidados na Convenção Coletiva de Trabalho, como na cláusula de Participação nos Lucros e/ou Resultados (26ª), em que pede a retirada da obrigatoriedade de apresentação do programa, sem incidência de multa caso as empresas não cumpram o prazo de 120 dias oferecido para indicação de proposta. O Seprosp, ignorando o caráter unificador da CCT, também propôs que o pagamento do auxílio-refeição segregue os trabalhadores por região de trabalho. Para a capital, indicou o valor de R$ 16,50 e, para as demais localidades do Estado, de R$ 15,70, considerando a jornada de oito horas diárias. Sobre a cláusula de homologação (27ª), foi solicitada retirada do parágrafo em que o Sindpd pleiteia que as empresas que não cumpram o prazo para rescisão do contrato de trabalho arquem com multa no valor de um salário a favor do trabalhador.

Os empresários negaram o avanço de mais de 90% da pauta da reivindicação aprovada, por unanimidade, pela categoria nas 14 assembleias de pauta realizadas em todo o Estado. Na mesa de negociação, o sindicato patronal recusou nova redação para Reajuste dos Pisos Salariais (3ª), Reembolso de Quilometragem (7ª), Substituição Eventual (10ª), Assistência Médica (18ª), Auxílio-Creche (19ª), Aviso Prévio (26ª), Garantia de Emprego a Gestante/Adotante (31ª), Garantia de Emprego por Motivo de Doença (34ª), Viagem a erviço (36ª),Jornada de Trabalho (38ª), Compensação de Faltas e Atrasos (39ª), Ausências Legais (40ª), Férias Individuais ou Coletivas (44ª), Multa pelo Descumprimento de Cláusulas (61ª).

As propostas que o Sindpd reivindica incluir na CCT, como Auxílio-Alimentação, Bolsa de Estudo, Dia do Profissional de TI, Vale-Cultura e Quinquênio também foram negadas. De acordo com Luigi Nese, presidente do Seprosp, o conservadorismo da contraproposta está alinhado com as expectativas das companhias do setor, ainda que este tenha sido um dos poucos segmentos econômicos a manter o saldo positivo na movimentação do emprego (3.344, no acumulado de janeiro a novembro de 2015), segundo dados do Caged, em análise elaborada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE). "Estou transferindo o sentimento das empresas no momento", justificou-se.

Diante da indisposição em negociar apresentada pelo Seprosp, o presidente do Sindpd, Antonio Neto, refutou qualquer tentativa do empresariado em retroceder nas garantias já conquistadas pelos profissionais de TI e afirmou que sequer considerará a contraproposta, mantendo, assim, as reivindicações da pauta inicial. A segunda rodada de negociação está agendada para a próxima quinta-feira (14), às 16h, na sede do Seprosp. Como no ano passado, a resistência da comissão de negociação patronal inviabilizou a transmissão e gravação da reunião.

Resumo da 1ª Rodada de negociação:

Proposta do Seprosp

- Reajuste salarial escalonado e parcelado:
    - Salário de até R$ 2 mil reais - 8%
    - De R$ 2 mil a 5 mil reais - 5,5% + uma parcela de R$ 50
    - Acima de R$ 5 mil reais - 4% com acréscimo de R$ 125 na parcela
- Salários normativos sem proposta de reajuste;
- Vale-refeição (VR) de R$16,50 para profissionais alocados na capital, e de R$ 15,70, para os das demais regiões;
- Retirada da obrigatoriedade de apresentação do programa de Participação nos Lucros e/ou Resultados;
- Retirada da multa em caso de descumprimento do prazo para realização das homologações.

Reivindicação do Sindpd 

- Reajuste salarial e nos pisos de 13,61%;
- Vale-refeição (VR) de R$20 e R$ 15 à categoria, considerando jornadas de oito e seis horas diárias, respectivamente;
- Multa em caso de descumprimento do prazo (120 dias) para apresentação da proposta de PLR;
- Assistência Médica sem ônus para os profissionais;
- Licença maternidade de 180 dias;
- Auxílio-alimentação no valor fixo de R$90 reais:
- Reembolso de 50% do valor da mensalidade ao empregado que estiver fazendo curso que vá ao encontro dos interesses da empresa;
- Dia livre em 19 de outubro (dia do Profissional de TI);
- Vale-Cultura;
- E adicional de 3% do salário mensal do empregado, para cada cinco anos trabalhados, a título de quinquênio.

sábado, 9 de janeiro de 2016

Twitter estuda ampliar limite de 140 caracteres para 10 mil

Twitter
via G1

A rede social Twitter está desenvolvendo uma função que permitirá acabar com o limite de 140 caracteres nas publicações de seus usuários, informou nesta terça-feira (5) o site especializado Re/Code. A equipe de Jack Dorsey testa atualmente uma nova função chamada "mais de 140" caracteres (Beyond 140), que estará destinada a ampliar o número de usuários, particularmente para a comunicação empresarial.

Os tuítes continuarão sendo de 140 caracteres, mas aqueles que tiverem um tamanho maior - de até 10 mil caracteres - poderão ser vistos em sua totalidade com apenas um clique sobre o texto, informa o Re/Code, citando fontes anônimas. Esta ferramenta para publicar textos longos poderia ser lançada no final do primeiro trimestre de 2016. O Twitter trabalha também sobre os eventuais problemas que podem ser apresentados aos usuários, como forma de evitar spams (mensagens não desejadas) e colocar limites às referências a outros usuários do serviço, aponta a publicação.

A regra dos 140 caracteres foi estabelecida em 2006, no início do Twitter, quando ainda era fundamentalmente um serviço de mensagens de texto SMS. Decisões subsequentes aliviaram a regra, como a introdução de links de hipertexto, antes muito longos, que agora podem ser reduzidos para menos de uma dúzia de caracteres. No meio do ano passado, o Twitter já havia removido o limite de 140 caracteres em mensagens privadas.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Regional do Sindpd em Araraquara inicia 4ª edição da Campanha Volta às Aulas Solidária

Campanha Volta às Aulas Solidária Sindpd
via Sindpd

A regional do Sindpd em Araraquara inicia 2016 com o lançamento de mais uma iniciativa beneficente, a "4ª Campanha Volta às Aulas Solidária". O objetivo é arrecadar materiais escolares para auxiliar os estudos de crianças atendidas pela Casa Mater, ONG que organiza ações solidárias na cidade e oferece orientação às famílias carentes a fim de preservar a saúde das crianças e garantir seu crescimento e desenvolvimento.

Além de beneficiar aproximadamente 100 crianças de até 6 anos, as doações são estendidas para os familiares destes pequenos, como irmãos e pessoas próximas, que necessitam de ajuda para adquirir material de estudos. Para contribuir com a Campanha Volta às Aulas Solidária, basta doar qualquer tipo de material escolar, novo ou em bom estado, como lápis, giz de cera, papel sulfite, livro, borracha, caneta, régua, caderno, mochila e uniforme, entre outros.

"É uma grande alegria e satisfação realizar este tipo de trabalho. Com pequenas ações na sociedade, podemos ter resultados grandiosos", afirma o diretor do Sindpd Daniel Henrique Forini. Os itens podem ser entregues na recepção da regional em Araraquara, localizada na Rua Padre Duarte, 151- Sala 5, até o dia 26 de fevereiro, das 9h às 17h. Para conhecer o trabalho da Casa Mater, acesse www.casamater.com.br.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Nova York vai espalhar 7.500 pontos de Wi-Fi gratuito pela cidade

Nova York pontos Wi-Fi gratuito LinkNYC
via IDGNow

Como anunciado no ano passado, Nova York vai espalhar Wi-Fi gratuito por toda a cidade. Para isso, o projeto chamado LinkNYC vai substituir os telefones públicos da Big Apple por pontos de acesso. No total, serão 7.500 telefones públicos substituídos por pontos de Wi-Fi. A expectativa é que sejam instalados 500 hot spots até julho de 2016, de acordo com a CityBridge, responsável pelo projeto formada por três empresas de tecnologia: Qualcomm, CIVIQ e Intersection.

As unidades de acesso possuem em torno de 2,9 metros de altura e contam com uma tela eletrônica em cada lado para exibir publicidade. Os aparelhos também contarão com um tablet Android que poderá ser usado para fazer chamadas telefônicas gratuitas e navegar na web. A velocidade prometida também chama a atenção: 1.000 MB/segundo, bem mais do que o fornecido normalmente por operadoras móveis, o que poderia causar uma mudança de comportamento entre os usuários quando a base toda estiver instalada. A CityBridge destaca ainda que o investimento do projeto supera os 200 milhões de dólares.

Regional do Sindpd realiza Natal Solidário em São José dos Campos

Natal Solidário Sindpd
via Sindpd

No dia 19 de dezembro, a regional do Sindpd em São José dos Campos realizou a celebração do "Natal Solidário", que contou com a participação e o apoio de vários trabalhadores da área de TI de São Paulo. O evento reuniu mais de 150 crianças do bairro Buquirinha. A festa, que levou pessoalmente o Papai Noel para entregar os presentes, também ofereceu oficina de pipas, pintura facial, pula-pula, escorregador e ensinou brincadeiras como pião e bolinha de gude, além de distribuir algodão-doce, pipoca, cachorro-quente, bolo, balas, entre outras guloseimas.

O diretor da regional em São José dos Campos, João Baptista Neto, agradeceu a todos os envolvidos na organização do evento. "Agradeço a Deus, em primeiro lugar, por permitir que formássemos um time para que estas crianças pudessem receber o carinho e os presentes que foram doados pelos funcionários das empresas de tecnologia de São José dos Campos. Saímos fortalecidos e com o dever cumprido de servir ao próximo", declarou o diretor.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Google Glass reaparece dobrável em edição voltada a profissionais

Google Glass
via iG

Promissor apesar de polêmico, o Google Glass foi uma das grandes baixas de 2015. Mas, ao que parece, 2016 será novamente o ano do óculos inteligente. Reformulado para ser um acessório profissional, o Google Glass Enterprise Edition já foi enviado ao The Federal Communications Commission, conhecido por FCC, órgão que regula as comunicações nos Estados Unidos. As informações são do site Business Insider.

Uma das principais mudanças diz respeito à responsabilidade do projeto, que está nas mãos de Tony Fadell, o fundador da Nest, aquela empresa de termostátos inteligentes que foi comprada pelo Google há alguns anos. Veterano do hardware, Fadell tem passagem pela Apple e desde o início do ano, quando o Google anunciou que pararia de vender o Glass comercialmente, responde por esse novo direcionamento do produto.

Google Glass


O pouco que se sabe, inclusive a partir das fotos da FCC, é que o novo Google Glass será dobrável, que traria um processador Intel Atom, melhorias no Wi-Fi e na gestão de calor. Há também a promessa de uma maior duração de bateria e rumores de que viria acompanhado de um conjunto de baterias externas que se ligariam magneticamente aos óculos. Google ainda não revelou quanto planeja cobrar pelo novo Glass e nem a partir de quando, mas como o novo aparelho é voltado para empresas, é provável que custe mais de US$ 1.500. Ainda assim, a possibilidade de uma versão para o consumidor final não está totalmente descartada sendo afirmou o próprio Fadell à Bloomberg recentemente.

Google Glass

domingo, 3 de janeiro de 2016

Haddad lança proposta de regularizar Uber em SP e taxistas se revoltam

Uber
via IDGNow

Cerca de 100 taxistas e seus veículos bloquearam o Viaduto do Chá e ruas próximas, no centro de São Paulo, nesta terça-feira (29/12), para protestar contra a decisão do prefeito Fernando Haddad (PT), de enviar para consulta pública uma proposta para regulamentar o Uber na capital paulista. A concentração teria sido convocada pelo vereador Adilson Amadeu (PTB), que representa a categoria. O protesto começou por volta de 9h20, segundo a Polícia Militar, e e terminou antes das 12h40. Embora a Polícia Militar não tenha informado registro oficial de violência, notícias publicadas pela Folha de S. Paulo e pelo portal G1 informam que os taxistas teriam agredido a socos e pontapés uma equipe de gravação da Globo.

O protesto aconteceu durante a entrevista coletiva convocada por Haddad para anunciar a abertura de uma consulta pública sobre a minuta de um decreto para regular a "exploração econômica do uso intensivo do viário urbano". As propostas de inclusão ou mudança do documento podem ser apresentadas pelo site http://consultausointensivoviario.prefeitura.sp.gov.br até 27 de janeiro de 2016. O texto da minuta prevê a possibilidade de que motoristas (mesmo os que não são taxistas) cadastrados via aplicativos possam prestar serviços de transporte individual de passageiros. O documento regulamenta a "exploração intensiva da malha viária pelos serviços de transporte individual remunerado de utilidade pública", e prevê que as empresas de aplicativos - como o Uber - possam receber autorização para operar mediante a compra antecipada de créditos de uso da malha viária calculados por quilômetros e previamente estabelecidos em um termo de acordo entre o aplicativo e a Prefeitura.

Os créditos poderão ser usados pelos motoristas cadastrados pelo aplicativo, que precisarão ter Condutax (autorização da prefeitura para a prestação de serviços de táxi) ou cadastro equivalente que seja emitido pelas empresas de aplicativos. O texto do decreto estabelece que será possível comprar mais créditos se o volume comprado no período for excedido, mas informa que será por preço maior "de maneira a inibir a superexploração da malha viária e compatibilizar o montante com a capacidade instalada". Corridas feitas fora do centro expandido, entre as 22h e as 6h ou com carros adaptados vão receber incentivos. Após 1 ano da publicação do decreto, 15% dos créditos deverão ter sido utilizados por motoristas mulheres. Os motoristas só poderão prestar serviços para usuários que fizerem a chamada pelo app e o uso de mapas digitais do trajeto é obrigatório.

O documento lista uma série de obrigatoriedades para os apps, praticamente todas já existentes, como possibilidade de saber o preço da corrida antecipadamente e identificação com foto do motorista. Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, o Uber se mostrou entusiasmado com a proposta de Haddad. Na opinião da empresa, o texto colocado em consulta pública nesta terça-feira, 29/12, pela prefeitura, respeita o modelo de negócio proposto pelo Uber e é inovador. Nenhuma tentativa de regulamentação da atividade do Uber no mundo propôs algo parecido.

sábado, 2 de janeiro de 2016

Por que Adele não permite que seu disco seja ouvido nos serviços de streaming

Adele
via iG

Com seu novo álbum, 25, a cantora britânica Adele rompeu todos os recordes de vendas e downloads para a semana de lançamento de um disco. Porém, apenas o primeiro single, o hit Hello, poderá figurar na lista de mais ouvidas dos serviços de streaming, como o Spotify. Isso porque as outras canções de 25 não podem ser reproduzidas por meio desses aplicativos. O motivo: assim decidiu a artista, que diz não ser fã da modalidade. "Eu não uso streaming. Eu faço download ou compro uma cópia física (do disco)", disse Adele à revista norte-americana Time. "Acho streaming um pouco descartável. Eu acredito que a música deve ser um evento", acrescentou.

A cantora disse estar consciente de que o serviço "é o futuro", mas ressaltou que "não é a única forma de se consumir música. Não posso me ligar a algo sobre o qual ainda não sei como me sinto". Ainda que seus discos anteriores – 19 e 21 – estejam disponíveis nesses serviços, Adele não permitiu que o mesmo ocorresse com seu novo trabalho. "Estou orgulhosa da minha decisão, e ainda me sentiria assim mesmo se o álbum tivesse fracassado", afirmou à Time". "Estaria orgulhosa porque me mantive firme, o que acredito ser muito importante para um artista". O Spotify, porém, parece ainda não perdido as esperanças de ter 25 em seu catálogo.

"Adoramos e respeitamos Adele, tanto como seus 24 milhões no Spotify", afirmou o serviço em um comunicado emitido no mês passado, quando o disco foi lançado mundialmente. Os usuários do aplicativo até conseguem encontrar 25 na lista de álbuns da cantora. Mas, além de ele não ter capa, mostra no lugar da função "play" a seguinte mensagem: "O artista ou seus representantes decidiram não lançar este álbum no Spotify por enquanto. Estamos trabalhando nisso e esperamos convencê-los a mudar de ideia."

Efeito Taylor Swift
Adele não está sozinha nessa briga. Em novembro do ano passado, a cantora norte-americana Taylor Swift retirou todas as suas músicas do Spotify e acusou o serviço de streaming de pagar pouco aos artistas e enriquecer às custas deles, o que a empresa obviamente nega. Não há dúvidas, porém, de que a prática de ouvir música pela internet tem se tornado cada vez mais popular. Segundo dados da indústria fonográfica britânica, foram 11,5 bilhões de transmissões só no primeiro semestre deste ano, contra 14,8 bilhões em 2014 inteiro.

CEO do Yelp diz que Google "perdeu a cabeça" e roubou conteúdo de app

Google
via IDGNow

O CEO do serviço Yelp, Jeremy Stoppelman, abriu fogo contra o Google nesta semana. As informações são do site Recode, que entrevistou o executivo recentemente. “O Google perdeu completamente a cabeça quando o assunto é focar no usuário. Eles estão fazendo tudo o que podem para preservar esse monopólio, e isso é triste”, disparou Stoppelman. Além disso, o executivo acusou a empresa de Mountain View de roubar conteúdo do Yelp, entre outros “prejuízos para os usuários”.

Brasileira tem 'relação virtual' com golpista e perde quase R$ 30 mil

Brasileira relação virtual golpista golpe
via UOL

Iludida com uma falsa promessa de casamento, uma mulher de 63 anos caiu em um golpe virtual e chegou a perder quase R$ 30 mil. A vítima --cuja identidade foi preservada-- conheceu um homem pela internet que se dizia fuzileiro do exército norte-americano em missão de paz no Afeganistão. Os dois tiveram um "relacionamento virtual" por cerca de três meses, como conta Amarildo Aparecido Leal, coordenador da Delegacia Seccional de Polícia Civil de Marília, no interior de São Paulo, onde o caso foi registrado. "Ele a iludiu dizendo que teria sido dispensado pelo presidente Barack Obama e que viria ao Brasil para se casar com ela", afirmou.

As extorsões começaram tímidas. "O falso soldado começou pedindo R$ 250 para que pudesse dar entrada à aposentadoria. Como ela caiu no primeiro golpe, os favores passaram a ficar cada vez mais caros", diz Leal. Os pedidos incluem R$ 5.000, para um kit de passagem, R$ 15.500, para uma falsa taxa antidrogas, R$ 4.500, para presentear colegas do Exército, e R$ 3.800, para a hospedagem no Brasil. Todo o dinheiro, segundo Leal, foi depositado em uma conta na República de Gana. Mas, apesar de todos os indícios de que se tratava de um golpe, a mulher só se deu conta da furada em que se meteu quando foi para Londrina (PR) esperar pelo suposto noivo e ele não apareceu.

O coordenador disse não saber qual era o aplicativo que os dois usavam para se comunicar, tampouco em qual idioma a conversa era realizada. Ele não descarta, inclusive, a hipótese de que o golpe tenha partido de um brasileiro. "O nosso trabalho agora é tentar identificar de onde partiu a comunicação e para onde foi o dinheiro", aponta Leal, que diz ser necessária a realização de uma perícia no computador usado pela vítima, bem como a quebra de sigilo dos dados bancários. "Todo esse processo pode levar um bom tempo, já que depende de uma autorização judicial e da intermediação do Ministério das Relações Exteriores junto ao governo de Gana", acrescenta.

Sindpd garante equiparação de benefícios para funcionários da IMA

Sindpd equiparação de benefícios funcionários IMA
via Sindpd

No dia 16 de dezembro, os diretores do Sindpd em Campinas, Loide Belchior e Ismael Antonio de Souza, estiveram na empresa Informática de Municípios Associados S/A (IMA) para intermediarem a negociação dos reajustes de vale-refeição, abono salarial, férias e banco de horas dos funcionários. A IMA, empresa de economia mista, que presta serviços na área de tecnologia para a Prefeitura de Campinas, oferecia aos seus funcionários valores menores nos benefícios em relação aos recebidos pelos servidores que atuam na administração municipal.

Segundo a diretora Loide, os funcionários reivindicavam a equiparação dos valores. "Os trabalhadores contestavam a equiparação para todos, conforme previsto na Convenção Coletiva de Trabalho, que tem por objetivo sempre a busca por condições mais benéficas à categoria", ressaltou. Durante a reunião na IMA, ficou acordado o reajuste de alguns benefícios, como o aumento do auxílio-refeição em 31,33% e um o abono salarial no mês de dezembro. Essa medida foi estabelecida depois de a empresa alegar a impossibilidade do pagamento da PLR de 2015.

Outras cláusulas também foram discutidas, como o sistema de férias. Além disso, o banco de horas dos funcionários teve prazo alongado, ao invés de expirar em dezembro, o banco segue válido até abril de 2016, permitindo maior flexibilidade para o empregado. De acordo com a diretora do Sindpd, cerca de 830 trabalhadores serão beneficiados pela negociação, que teve por mérito a abertura de um importante diálogo entre a empresa e o Sindicato, que atua para assegurar os direitos dos profissionais de TI.