segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Rodoviários entram em greve por tempo indeterminado em Porto Velho (RO)

Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo do Estado de Rondônia Sintetuperon
via CSB

O Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo do Estado de Rondônia (Sintetuperon) anunciou, nesta terça-feira, 1, greve por tempo indeterminado dos motoristas de ônibus urbanos de Porto Velho, capital de Rondônia.

Segundo o presidente do Sintetuperon, Edilson Pereira, a categoria está sem acordo coletivo desde julho deste ano devido à troca das concessionárias de transporte coletivo da capital, e culpa a prefeitura pelo problema. Os carros não saíram das garagens nesta manhã. “Mil e duzentos trabalhadores estão com os salários atrasados há quase dois meses e sem reajuste de salários, vale-transporte e vale-refeição porque a prefeitura rompeu o contrato com a antiga concessionária e nada foi resolvido. O prefeito prometeu que os motoristas da antiga empresa seriam contratados pela nova concessionária, coisa que não aconteceu”, afirmou o dirigente.

Edilson Pereira explica que o acordo coletivo dos funcionários das empresas Rio Madeira e Três Marias, antigas concessionárias da capital de Rondônia, venceu no último dia 30 de junho. “Em 6 de julho, os trabalhadores paralisaram as atividades, reivindicando 19% de reajuste salarial e aumento nos vales-alimentação, refeição e transporte. As reivindicações deveriam ter sido negociadas no dissídio coletivo, que não foi fechado”, explicou.“

Como o processo de troca das companhias de ônibus estava em andamento, o Tribunal Regional do Trabalho solicitou, em 8 de julho, o adiamento da greve e das negociações do novo acordo por 60 dias. O prazo seria suficiente para o início das atividades da Ocimar Comércio de Automóveis, de Taboão da Serra (SP), que venceu a concorrência para o contrato emergencial de transporte público de Porto Velho. O contrato com a nova empresa foi cancelado, pois a mesma não conseguiu cumprir o prazo de início das atividades. Essas incertezas têm comprometido a vida de muitos trabalhadores. A prefeitura precisa se manifestar e apresentar uma solução”, declarou.

O presidente ainda disse que os trabalhadores entendem a necessidade da população em ter transporte público funcionando, mas ressaltou que a ação é necessária para chamar a atenção das autoridades. “Sabemos do que a população precisa e muitas vezes não nos entendem, mas também merecemos uma qualidade e, principalmente, uma certeza de nosso futuro”, concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário